Os 5 principais erros que os advogados cometem no LinkedIn

By Leandro Ramos Sem categoria Nenhum comentário em Os 5 principais erros que os advogados cometem no LinkedIn

O LinkedIn é atualmente a principal rede social profissional do mundo. Com mais de 30 milhões de usuários no Brasil, a rede social não se restringe mais apenas a busca por empregos.

Hoje o tempo de navegação médio no LinkedIn é de 30 minutos por usuário e as pessoas usam a rede social também para se informarem sobre novidades do seu negócio e mercado, fortalecer relações com parceiros de negócios e colegas e até obter novos clientes.

No ramo jurídico o LinkedIn também tem ganhado novos usos, sendo crescente o número de advogados, escritórios e grandes bancas de advocacia que utilizam a rede social como plataforma de comunicação e construção de reputação.

Se por um lado os advogados usam cada vez mais o LinkedIn, por outro é cada vez mais comum encontrar perfis de profissionais com excelente conhecimento jurídico e reputação reconhecida com erros básicos.

A seguir estão os 5 principais erros que os advogados cometem no LinkedIn:

1 – Foto de perfil

 É muito comum perfis de advogados não apresentarem nenhuma foto ou ainda exibir uma imagem inadequada.

Dado que estamos em um ambiente online e altamente visual, a sua foto é o primeiro elemento que irá lhe ajudar a construir sua reputação.

Qual a sua parte do corpo que melhor comunica confiança?

Os olhos! Sendo assim, a sua foto do LinkedIn precisa ser de alta resolução, com fundo claro, em que seus olhos estejam bastante visíveis.

Outro ponto importante com relação a foto: utilize nesta imagem o mesmo tipo de roupa que você costuma usar no dia a dia. Se você não está acostumado usar gravata no cotidiano, não faz sentido você ter uma foto no seu perfil de terno e gravata.

2 – Textos longos

Como toda plataforma digital, escrever bastante pode ser estratégico para melhorar o ranking do seu perfil não apenas dentro do LinkedIn, mas também nas buscas do Google.

Normalmente advogados possuem facilidade para escrever e gostam de produzir textos longos. Aqui reside uma armadilha: textos com sentenças muito longas são pouco atrativos na web.

Atualmente 61% dos usuários acessam o LinkedIn através de dispositivos móveis, sendo assim, é preciso pensar que todo texto precisa estar em um formato que seja facilmente acessado em um smartphone.

3 – Transformam o seu perfil em currículo online

 Quando o LinkedIn surgiu há quase duas décadas atrás a rede social era muito voltada para networking busca de empregos. Porém, à medida que a plataforma evoluiu, o seu uso se sofisticou e hoje é possível usar o LinkedIn para construção de reputação, obtenção de informações de mercado e conquista de novos clientes.

Sendo assim, a pergunta que você deve fazer é a seguinte: qual o meu objetivo estratégico de estar no LinkedIn? Se a resposta for buscar uma nova colocação profissional, é importante que o seu perfil esteja voltado para um recrutador ou ainda um possível contratante.

No entanto, grande parte dos advogados estão presentes no LinkedIn com o intuito de fortalecer sua reputação pessoal e do seu escritório, compartilhar conhecimento e estar mais próximo dos seus clientes e potenciais clientes.

Desta forma, se o seu objetivo é fortalecer sua reputação e fomentar negócios, o seu perfil não pode ser construído como se fosse um currículo online. Evidente que suas experiências e conquistas profissionais são importantes, porém, a maneira como elas são redigidas deve ser diferente.

Use o LinkedIn para se posicionar como uma referência em sua área de atuação. O seu perfil pode ser um mini site em que você atrai, ensina e engaja clientes e potenciais clientes dentro da sua área de atuação.

4 – Não personalizam o título profissional

 O seu título profissional é aquela área abaixo da sua foto de perfil e possui 120 caracteres para você demonstrar valor e ganhar atenção de um leitor. É como se fosse a manchete de um jornal.

Quando um usuário não personaliza essa área, o LinkedIn automaticamente preenche com os detalhes do título do seu trabalho atual. Grande parte dos perfis de advogados apresentam esse erro, que é comum também em outras profissões.

Faça um título curto, empolgante e orientado para valores que o seu trabalho oferece para seus clientes. Diga quem você ajuda e como ajuda com os seus serviços jurídicos.

5 – Poucas conexões

 O LinkedIn é uma rede social e o seu maior ativo é justamente oferecer uma miríade de profissionais para você se conectar. Nele é possível estabelecer contatos com colegas de universidade, clientes e potenciais clientes, outros profissionais do ramo jurídico, pessoas que você conheceu em um evento ou ainda o antigo colega do colégio.

Ainda é comum verificar perfis de advogados no LinkedIn com 200 ou 300 conexões. Não existe uma regra com um número mínimo de conexões, porém, qualquer profissional que buscar se conectar com todas as pessoas que conhece normalmente ultrapassa as 500 conexões.

Quanto mais conexão você possui no seu LinkedIn, maior será a sua influência na rede social. Isso se traduz quando você produz um conteúdo, que será visto por mais pessoas ou ainda nas conexões de segundo nível, que aumenta exponencialmente quando você possui mais contatos de primeiro nível.

Embora cada profissional possua a sua própria política de conexão, hoje as pessoas mudaram bastante a maneira de adicionar um novo contato na rede social. A etiqueta atual do LinkedIn permite adicionar alguém que você não conhece e isso pode ser muito saudável, uma forma interessante de se aproximar de um potencial cliente ou parceiro de negócios, sem ser invasivo ou ainda infringir as limitações impostas ao marketing jurídico.

O que você achou desses 5 principais erros que os advogados cometem no LinkedIn? Existe algum ponto de melhoria no seu perfil? Logicamente o objetivo deste texto não foi fechar a discussão. Certamente existem outros pontos de evoluções e diferentes formas de solucioná-las. Caso queira aprofundar essa discussão deixe um comentário ou ainda procure alguém da equipe da Javali Digital especializado em marketing jurídico. Será um prazer ajuda-lo!

  • Share:

Leave a comment