Endomarketing como diferencial na advocacia

By Leandro Ramos Marketing Jurídico Nenhum comentário em Endomarketing como diferencial na advocacia

Durante todo Século XX contratar um bom funcionário era um trabalho que estava a cargo dos departamentos pessoais e lideranças de uma empresa. Cabia à organização apresentar claramente os requisitos de uma vaga, atrair os candidatos corretos e escolher o profissional que melhor se enquadrava no posto. Esse processo conferia um poder imenso ao contratante, que possuía o direito de escolha. Esse modelo funcionou para empresas de qualquer tamanho, Forças Armadas do mundo inteiro e inclusive escritórios de advocacia.

No entanto, vivemos em um mundo em constante mudança e a internet, sobretudo com o advento das plataformas sociais, mudou sensivelmente a maneira como as empresas se comunicam com as pessoas, seja na esfera cliente-consumidor, ou ainda empregador-empregado. Se antes as empresas ditavam a comunicação unidirecional de marketing ou ainda de contratação, hoje temos relações muito mais horizontais, em que clientes falam com as marcas ou ainda candidatos que dialogam com as contratantes em relações de maior igualdade.

No que se refere à contratação de funcionários, as empresas neste início de século continuam ditando as regras de escolha dos seus funcionários. Contudo, essa relação que era hierárquica e um monólogo, é cada vez mais horizontal e pautada pela voz do empregado, que avalia a empresa onde trabalha nas redes sociais, indica uma vaga para um amigo baseado na sua percepção do contratante ou ainda recomenda um cliente por acreditar nos ideais de uma empresa. Portanto, gerir essa relação empresa-empregado é condição inequívoca de sucesso em um mundo de transformação digital, sobretudo nos escritórios de advocacia, que ainda guardam modelos de gestão de pessoas do início do Século XX.

Nos escritórios de advocacia, gestão de pessoas foi sempre um assunto ligado aos sócios do escritório e ao departamento pessoal ou recursos humanos. Ainda que o mundo está mudando e exigindo novas maneiras de se lidar com as expectativas dos funcionários, esse domínio não mudou. A novidade é que cada vez mais é importante para as empresas cuidar da maneira como elas lidam e comunicam com as demandas dos funcionários em um mundo de comunicação instantânea e canais digitais. É neste momento que cresce a importância do endomarketing.

Por definição endomarketing é o marketing voltado para os funcionários de uma empresa, ou seja, são as ações que uma organização faz para conquistar a simpatia dos funcionários em uma dimensão racional e emocional. Vale lembrar que o endomarketing já é praticado por muitas bancas de advocacia, mas em tempos de redes sociais e pesquisas de clima e satisfação, como Love Mondays, que é uma plataforma que um funcionário avalia anonimamente uma empresa ou ainda pesquisas como a realizada pelo Great Place to Work, faz-se necessário a empresa possuir uma estratégia mais ativa de atendimento das demandas dos seus funcionários.

A diferença de papéis entre RH e Endomarketing

 Uma confusão comum que ocorre na discussão sobre endomarketing é confundir as atribuições do endomarketing. Afinal, é uma tarefa do marketing ou RH do escritório de advocacia? A resposta é mais simples e ao mesmo tempo complexa: é papel dos dois departamentos!

Cabe ao RH do escritório elaborar uma política de gestão de pessoas, com entendimento das demandas de cada equipe, que cobre assuntos como política de cargos e salários, avaliação de desempenho, orientação quanto à cultura do escritório, administração pessoal, treinamentos, entre outros. Já o endomarketing, através do departamento de marketing, será responsável por comunicar a estratégia do escritório, definir linguagem para cada público interno, projetar internamente a marca da banca de advocacia e sobretudo potencializar o fluxo de comunicação interna através das diferentes estratégias digitais presentes nos negócios.

De maneira bem resumida, cabe ao RH mapear as demandas dos clientes internos, ou seja, os funcionários, e ao marketing e ao próprio RH atender essas demandas através de ações efetivas e com um grande respaldo de comunicação interna. Por isso, o endomarketing é uma atribuição de RH e marketing de um escritório de advocacia, devendo sempre contar com o apoio incondicional dos sócios.

As vantagens do endomarketing na advocacia

 Em qualquer empresa o endomarketing, se bem executado, pode trazer benefícios de curto e longo prazo para a organização. Nos escritórios de advocacia ele se faz mais necessário, pois é comum em grandes bancas cada sócio possuir a sua equipe de associados e cada departamento funcionar como uma empresa independente. A ausência de uma política única de gestão de pessoas e comunicação interna é uma das grandes fragilidades das grandes bancas de advocacia brasileiras. Caso tenha dúvida, basta pesquisar na plataforma social Love Mondays avaliação dos principais escritórios do país e analisar as queixas dos advogados neste contexto.

Escritórios que buscam maior uniformidade em suas estratégias de gestão de equipes e comunicação dos valores e princípios da banca costumam obter os seguintes benefícios ao praticar o endomarketing com eficiência:

  • Redução do turnover (rotatividade) dos funcionários
  • Atração de bons advogados para a equipe
  • Fortalecimento da cultura empresarial do escritório
  • Aumento do boca a boca positivo do escritório
  • Conquista de novos clientes
  • Melhora do clima organizacional
  • Redução do absenteísmo

Ações de endomarketing mais comuns

 Evidentemente as ações de endomarketing variam de escritório para escritório e vão estar relacionadas ao contexto de cada organização. No entanto, é possível listar alguns exemplos praticados por bancas de advocacia, para ilustrar como o endomarketing pode começar a ser implementado em seu escritório desde já, com um bom planejamento entre marketing e recursos humanos:

  • Comemoração de aniversariantes do mês
  • Bolsas de estudos para funcionários
  • Incentivos de práticas esportivas (desconto em academias, clube de corridas, entre outros)
  • Auxílio escola para filhos de funcionários
  • Treinamentos
  • Webinars
  • Blog corporativo
  • Cursos sobre temas diversos (vinho, café, fotografia, entre outros)
  • Jornal interno
  • Rede social corporativa

Vale destacar que cada ação acima mencionada possui uma componente de importância diferente em cada escritório. Tudo vai depender da demanda interna de cada equipe. Se o princípio do marketing é atender as necessidades do cliente, o endomarketing possui o mesmo princípio, que é atender as demandas do colaborador interno. Por isso, é muito importante conhecer o que a sua equipe deseja, sobretudo os novos advogados das Gerações Y e Z, que possuem necessidades pessoais e profissionais diferentes das gerações anteriores. Lembre-se que esses jovens profissionais possuem muito mais poder de comunicação do que parece e a reputação do escritório pode e deve ser construída a partir de quem trabalha para você.

 

 

 

 

 

 

 

  • Share:

Leave a comment